quinta-feira, janeiro 12, 2012

Primavera


Conto até três
Não sei o porquê de o fazer
Talvez para me relembrar outra vez 
O porquê de ter ou de te perder!

Conto sem contar
As vezes que por ti não chorei por querer
E não te falei tudo o que queria falar
E tudo se foi, mesmo o que queria te dizer

Conto o meu sentir
Do que dói e o que magoa
Lembro do teu sorrir
É o que me refresca, é a tua coroa

Conto o que conto assim 
Digo o que digo enfim
Foi o que foi a perder
Falo o que falo a sofrer

Assim continuarei
A te ter e a te perder
A sentir e a sofrer
É tudo o que achei

Que seja rápido o renascer
Que continuo a ter flores no meu jardim
Que a Primavera junto os pedaços de mim
Continuo o inventor, por isso não me vou esquecer!


Abraço-te

7 comentários:

  1. Há sempre um amanhã por descobrir...uma Primavera por chegar...um amor por viver e um sonho por concretizar.

    Abraço-te
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  2. Um poema de esperança num amor que vai regressar um dia e sustentado por um trecho musical lindíssimo!

    ResponderEliminar
  3. .

    .

    . bel.íssimo . este acontecer .

    .

    . bom fim.de.semana .

    .

    . abraço.te .

    .

    .

    ResponderEliminar
  4. A Primavera já esteve mais longe...os dias crescem...

    ResponderEliminar
  5. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderEliminar
  6. .


    Adorei seu blog a ponto de
    querer segui-lo. Arrume um
    pretexto para também seguir
    o meu...

    silvioafonso






    .

    ResponderEliminar
  7. Tenho um pedido para ti lá no Pé...
    Obrigado.

    ResponderEliminar

Abraço-Te