terça-feira, março 17, 2009

Admito II

É nesta estrada que chamamos vida
que aprendemos a viver
é nesta estrada perdida
que o passado, o presente e o futuro se vão conhecer
o passado preenchido por ti
o presente marcado pela tua ausência
e o futuro pela tua presença

É quando o sol se põe que vejo a lua
nítida pela sua grandeza, tão nua
contemplo as estrelas perdidas pelo espaço
não me atrevo a conta-las
sem ti não sei o que faço
continuo a contempla-las

Admito...
o teu prazer, de me sentir, de viver
o teu sonho, de me ter, de conhecer
o teu carinho, de me acariciar, de beijar
o teu amor, de me abraçar, de amar...

Admito…
O nosso percurso de vida nesta estrada, cruzou-se numa simbiose de vivência, de aprender que tinha-mos algo em comum. 
Admito…
Que aprendemos a conhecer-nos, a partilhar o presente construindo um futuro, preenchido pela saudade de quando te ausentavas, mas que eu sabia que voltavas.
Admito…
Que a tua ausência, porque a vida tem que ser construída em qualquer local, sobretudo quando menos é favorável para sentirmos o peso da dor de não te ter, todos os dias, sobretudo à noite quando contemplo as estrelas e não tenho companhia para me ajudar a contá-las.
Admito…
Que tudo tendo um princípio e um fim, eu não estava preparado para a tua ida, embora pensasse que um dia fosse acontecer, eu pensava que era um sonho.
Admito …
Que agora fogem-me as palavras, que no refúgio da minha solidão procuro nestas teclas alguém que preencha o espaço vazio, que só tu sabes ocupar.
Admito…
Que quando te quero esquecer, procuro na imensidão do espaço da noite, o que tu não me podes dar, e que descarto, sabendo que estás presente na minha memória.
Admito…
Que tenho muitas saudades do teu olhar, dos teus beijos doces e molhados, do teu cheiro, que ainda sinto quando me deito na cama e me preparo para dormir. 
Admito…
Que não vou te esquecer, por isso mergulho nas palavras para passar o meu tempo.
Admito…
Que ninguém vai conseguir dar-me o que tu me deste, porque vou ter sempre em lembrança, comparar o que não pode ser comparável.
Admito…
Que um dia tudo isto acabe e que encontre finalmente a minha paz.
Admito...
Mas não sei se sou capaz, o futuro está incerto meu amor…

A.
ds


6 de Fevereiro de 2009 17:09

JustMe

Nota de autor
Tal como prometi respondo ao comentário, como reconhecimento a um "querido amigo"... A.ds
Abraço-te
Um muito obrigado, pelo comentário deixado no dia 06/02/09 no texto Admito 

Tela : "steve walker-bareback mountain"

13 comentários:

  1. ...y novamente o vento trouxe a brisa inpregnada com o perfume que usaste na noite em que não te encontrei.
    A essênçia ficou porém ainda no ar, acalentando os meus sonhos nocturnos em que te imagino como és ao meu lado y poder-te tocar com as minhas mãos macias y levar-te ao êxtase do amor.
    As palavras, diz-se, leva-as o vento, mas são elas que traduzem a nossa linguagem muitas vezes traduzidas em gestos, que o silêncio é preciso enquanto te olho y te sinto.
    Não passas ainda de um sonho, um sonho delicioso cujas palavras se derretem na minha boca y que deixo escapar pelos meus lábios...
    @
    A.ds

    ResponderEliminar
  2. Tocavam os raios ensolarados e madrugadores
    Nas vastas planícies, terras por conquistar…
    Do chão brotavam vidas e esperanças de amores
    Colhidas por ninfas ao som de flautas, a dançar

    Mas nessas terras, também corriam ventos de tirania
    Trazidas por lordes e senhores de um Rei ditador…
    Cobrando liberdade a um povo que por ela ardia
    Forçados às leis impostas pelas espadas, suor e dor

    Um resto de uma agradável semana!

    Bem-haja!

    O eterno abraço…

    -MANZAS-

    ResponderEliminar
  3. caro desconhecido, temo saber o que descreve. Conselhos não se dão mas ajuda a reflectir se lhe disser que avec les temps tudo de dilui e a vida continua, mais cinzenta por certo, mas sempre vida

    ResponderEliminar
  4. ...o teu carinho, de me acariciar, de beijar
    o teu amor, de me abraçar, de amar...

    Que esse Amor te tenha abraçado, que tenha amado e que estejam felizes e com um sorriso!

    Gosto do teu Blog, revela sensibilidade, amor e carinho!

    Um beijo para ti e para o teu amor

    Silvio

    ResponderEliminar
  5. Estou fazendo uma campanha de doações para criar uma minibiblioteca comunitaria na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todos.Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

    ResponderEliminar
  6. No Dia Mundial da Poesia, deposito aqui um ramo de sílabas que mais tarde virei colher na vogalização de tantas as palavras de en.cantar.

    e saio _______________________________ rendido.

    Um abraço[.]

    ResponderEliminar
  7. Lindo poema,
    pelas estradas da vida,passamos por tantas situãções, algumas boas,outras não,o bom é termos sempre o prazer de viver,e aproveitar muito a vida.

    bjos.

    ResponderEliminar
  8. Este teu texto tem palavras que me dizem muito. Não porque as vivo, mas porque fazem parte dum sonho. E sa há sonhos que nunca irão fazer parte da minha realidade, esse certamente será um. Deixando de lado o negativismo e sabendo que gosta de Grey's Anatomy e pressupondo que ainda não viste o episódio 18 da 5ª temporada, digo-te que foi genial, há um caso que me fez quase chorar pelo contexto paralelo às outras histórias. Eu sei quem é lamechas, mas não estou nem aí, o caso da Izzie está a ser um aperto no coração, tudo bem que é ficção, não vivo para isso, mas a realidade também tem dessas coisas. Basta ver o caso mediático da Jade.

    Chega...eu poderia admitir muito agora, tu fizeste-o no texto mas eu guardo as palavras para outros momentos. Admitir seja o que for pode ser um trabalho árduo. hoje é Domingo e dizem que é o dia do descanso. Vou fazer isso agora.

    *Hugs n' smiles*
    Carlos

    ResponderEliminar
  9. Passe pelo meu blogue. Tenho miminho para tsi - "Vale a pena acompanhar este blogue"

    Beijinho

    MV

    ResponderEliminar
  10. Admito belas as palavras, com que admites, Admito!

    Abraços,

    jhs

    ResponderEliminar
  11. A ti, tiro o meu chapéu...

    Gostei de ler, de sentir o teu texto... de saborear a magia das palavras.

    Com amizade
    Luis

    ResponderEliminar

Abraço-Te