terça-feira, junho 08, 2010

Balançar


Balanço no teu olhar
           Balanço e saio sem balançar
     Acredito no teu balanço
                   Refugiu-me e por vezes me canso

                
                                               Balanço no teu sorrir
                                           Balanço sem sentir
                                                         Acredito na tua boa vontade
                                                                         Fujo e por vezes não admito a verdade

                
              Balanço neste muro singular
                    Balanço sem conseguir avançar
                   Acredito na tua forma de estar
                 Tento voltar ao meu caminhar


Balanço com o vento                            
Balanço muito atento                          
Acredito que não consigas avançar       
Espero, sem continuar a esperar         


Balanço sem saber
              Balanço e saio sem balançar
                 Acredito na tua força de viver
              Abraço-te sem te abraçar    


Abraço-te

5 comentários:

  1. Eu uso e abuso disso: Abraçar sem abraçar...

    ResponderEliminar
  2. Lindo poema...abraçar, sem abraçar, tantas vezes esse abraçar.

    Beijinhos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  3. Que lindo este teu poema.
    Muitas vezes balançamos....balançamos....e de quê?

    "Prendes-me a dizer
    que me estás a salvar.
    De quê?
    De viver o perigo.
    De quê?
    De rasgar o peito.
    Com o quê?
    De morrer,
    mas de que paixão?
    De quê?
    Se o que mata mais é não ver
    o que a noite esconde
    e não ter
    nem sentir
    o vento ardente
    a soprar o coração..."

    Gostei imenso deste bocadinho aqui,a musica é imensamente bela!

    Bj com luar

    ResponderEliminar
  4. somzinho bom de escutar, obrigado não conhecia essa artista.

    ResponderEliminar

Abraço-Te