sexta-feira, outubro 01, 2010

A tempo

Deixo o desagrado…De um fim mal tratado
O Verão que já pertence ao passado
O Outono em tons de Verdade …
O inicio da tempestade
O vento em liberdade…
As folhas deixam a saudade


Deixam a beleza no chão, baralhada, atrofiada
Arrastada pelo vento, com força e sem alento
Frio e diferente…Agitando-a inanimada
Novos ares, novos rumos e muito tentamento
Derrubando o calor já encrespado
Filtrando-se no corpo…
Mergulhado
E Sopra…


Sopra...
Procura instalar-se
E o Anónimo a infiltrar-se
Perante o desejo de um verão sem cessar
Que definitivamente o calor consegue quebrar


E um simples arrefecimento sente-se no ar
É o vento, é o Outono a chegar!!!


Abraço-te

1 comentário:

  1. Belo poema outonal; pessoalmente, gosto muito desta estação.

    ResponderEliminar

Abraço-Te