domingo, junho 22, 2008

Era uma vez...

Todas as historias começam assim...

Era uma vez...
Tu e eu
O dia, a noite, o mar e o ceu...

Era uma vez...
Perdido no tempo e no espaço
E na noite tambem...

Era uma vez...
A musica, a dança...
O teu olhar e o meu...

Era uma vez...
A luz, a escuridão, um principio e...
Até onde nos deixarmos ir...

Era uma vez...
Todas as historias começam assim...
E a nossa ???...

Era uma vez...


JustMe
"boysnightout-Steve Walker"

8 comentários:

  1. Olá

    E ainda bem que começam... :)
    Tudo tem um fim ( dizem ) mas enquanto esse dia não chega, saboreamos o momento...

    Jinhos

    ResponderEliminar
  2. todo tiene un principio y un final, peo lo importante es lo que hay en el medio
    saluditos

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Olá


    A melhor das historias para mim..são aquelas que ainda não foram escritas..

    eu sei que existem coisas que não têm fim..coisas onde o fim..é a nossa própria existencia..

    eu acho...

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Fazer (ser)o final da história em que entramos...

    abraço

    ResponderEliminar
  6. "Era uma vez e... viveram felizes para sempre"

    Falta a última frase dos contos de fadas.
    Que assim seja. Se for por bem

    Gostei do que li. :)

    ResponderEliminar
  7. a minha história contigo começou assim, como dizes
    algures numa vez qualquer

    mas espero que termine aqui
    de uma vez por todas

    gostaria de me zangar
    gostaria de odiar
    gostaria de dar expressão a uma raiva que não sinto
    gostaria de poder conscientemente destruir

    mas...
    apenas me consigo irritar comigo mesmo

    irritar porque continuo a querer iludir-me com a existência de um lado bom em cada ser humano
    que me faz agir sempre na assunpção do melhor
    procurando respeitar
    procurando proteger
    procurando não ferir
    procurando ser gentil
    nas palavras, no dizer do outro, nos gestos, na expressão

    a cada tentativa de me manter num registo de delicadeza
    ainda que expondo as minhas fragilidades
    procuro ser solidário e ao mesmo tempo manter-me fiel ao que a minha razão me dita

    e pela razão, a minha
    os fins são em mim e em regra definitivos
    e em momento nenhum vou para lá da expressão dos meus afectos
    nunca procurando, sugerindo ou agindo no sentido do replicar do que pelos vistos só terá acontecido na minha fantasia

    quem do contrário poder fazer-se prova
    que se afirme e mo diga na cara
    poupando o devassar do meu privado a uma exposição pública
    que não vejo a quem possa interessar

    e pelo poupar de que não fui alvo
    sinto-me triste e desencantado
    é o mínimo que posso dizer
    e o máximo que me permito

    Luís

    ResponderEliminar
  8. Continuo a abraçar-te...
    Assim como continuo na serenidade que tenho vivido estes últimos tempos...

    A ti...
    Desejo-te o melhor...

    JustMe
    Abraço-te

    ResponderEliminar

Abraço-Te